Entrevistado
Nome: Hiroaki Yamanaka
Idade: 21 anos
Nacionalidade: Japonesa
Natural: Tokio
Faculdade: Economia Universidade Sophia
Compositores que mais gosta: Arlindo Cruz e Sombrinha, Paulinho da Viola, Noel Rosa, Cartola, Luis Carlos da Vila
Escola de samba do coração: Portela
Instrumentos que toca: Tamborim, repenique, cavaquinho e banjo.
Cidades Brasileiras que conhece: Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília
Estuda Português na UFRJ (intercambio)

Entrevistadora:
Lúcia Boudrini

 

1 - Como conheceu o samba?
Através da universidade que estudo (Universidade de Sophia). Existe um Clube do Samba distribuído entre diversas Universidades Japonesas e desse clube nascem os ritmistas da Escola de Samba União dos Amadores. No meu caso, sou do Clube do samba da Universidade de Sophia.

2 - Histórias da União Dos Amadores

Heptacampeã! A União dos Amadores anteriormente foi campeã em 1990, 1992, 2000, 2001, 2002, 2003, 2007.
Dizem que o samba (assim como o futebol) não se aprende na escola. Mas no caso dos integrantes da União dos Amadores, o samba foi basicamente ensinado nas universidades.
Os integrantes da União dos Amadores são originários de diversas faculdades em Tókio, que em sua maioria, aprenderam o idioma português e assim tomaram contato com o samba.

A música brasileira entrou no Japão como modismo em 1970 e, de lá pra cá, ela esta cada vez mais entre os japoneses. Hoje, existe o Asakusa Samba Festival, um desfile de Escolas de samba Japonesas que se realiza em um dos bairros mais famosos de Tókio e hoje é considerado o maior carnaval fora do Brasil, realizado no mês de agosto e contém por volta de 20 escolas de samba cada uma com uma média de 300 componentes.
Nessa Escola, Hiroaki aprendeu samba e desfila há dois anos.

3 - Porque vir ao Brasil?
Conhecer melhor o samba, estudar o português para aplicar no seu estudo de economia, já que o Brasil é um país ascendente na economia mundial. Conhecer a cultura brasileira e aplicar melhor seus conhecimentos em sua Escola de Samba no Japão.

4 - Qual a sensação que sentiu quando conheceu o Rio de Janeiro e o samba?
Não achava que o Rio de Janeiro fosse tão rico, pensava que a cidade era muito pobre (talvez por causa de tantas fotos das Favelas Cariocas). Vejo o Rio como uma cidade em crescimento. Aprendi que não existe Samba todos os dias, e nem em todos os cantos do Rio, pois é uma imagem muito forte que temos (e fiquei triste quando descobri que isso não acontece... risos). As rodas de samba, as comidas e as variedades musicais também me surpreenderam bastante.

5 - O que vai levar de aprendizado?
1 – A simpatia do povo brasileiro (isso os japoneses não conseguem imitar... risos)
2 – O Samba na sua origem, porque no Japão o samba não é perfeito. E vou aperfeiçoar a minha escola com tudo que estou aprendendo aqui.
3 – Como são os ensaios nas escolas de samba no Rio de Janeiro, pois o Japonês pensa que o Carnaval e as Escolas de samba fazem parte de uma festa e não tinha ideia de como é levado a sério o trabalho efetuado pelos ritmistas.
4 – Conseguir cantar os sambas com mais facilidade.

6 - Quais as suas paixões?
Feijoada, samba, caipirinhas e mulatas....!!!! Muito bom!!!

7 - Sua frase?
“Eu amo o Rio de Janeiro e amo cantar aqui, porque vejo todos ao meu redor cantando junto comigo. No Japão não consigo isso... É emocionante”

União Dos Amadores - Heptacampeã - 1990, 1992, 2000, 2001, 2002, 2003, 2007
Foi um rio que passou em minha vida