Lincoln
(Lincoln Washington Pereira de Almeida )

Nasceu em 03 de junho de 1915 e faleceu em 01 de janeiro de 1987. Filho de pai baiano e mãe fluminense, foi casado com dona Olindina e teve quatro filhos. Era cunhado de Manaceia, casado com a sua irmã, dona Neném.

Teve uma Infância abastada, vivendo no Catete e em Botafogo e estudando em bons colégios. Em 1931, com a morte do pai, a mãe precisou mudar-se da zona sul e comprou um terreno em Oswaldo Cruz, pago om o montepio do marido, que havia sido funcionário do Senado. Lincoln trabalhava em Copacabana, nos Correios, e vivia deprimido por morar no subúrbio.

Por seu ar de nobreza, Lincoln era chamado de “príncipe” pela jornalista Lilian Newlands. Em Oswaldo Cruz, aproximou-se de Aniceto, irmão de Manaceia, que o levou par a Portela e o apresentou a Paulo Benjamin de Oliveira. Tocava violão em orquestras e, muitas vezes, ficava no ponto dos músicos em frente ao Teatro João Caetano, à espera de trabalho.

Além de violinista, Lincoln era compositor de mão cheia. Foi parceiro de Paulo da Portela, em “Conselho”, incluída no disco que a Velha Guarda gravou e que ele dedicou ao fundador da Portela. Vejam a letra:

Aceite um conselho de amigo
Não queiras ter tão triste fim
Eu sei que a vida de quem ama é assim
Mande embora esta tristeza
Esqueça, alguém que não te quis
Canta e serás feliz

Cantando muito facilmente irás esquecer
Aquela que só por maldade
Te fez padecer
Comparece esta falsa amizade
Coma a tempestade
Não perca a esperança
Que um dia com muita alegria
Terás a bonança

Fonte: VARGENS, João Baptista M; MONTE, Carlos Monte. A Velha Guarda da Portela. 2. ed. Rio de Janeiro: Manati, 2004.