ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL DE CONSTITUIÇÃO DO
GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA FILHOS DA ÁGUIA.

Aos trinta e um dias do mês de julho de dois mil e um às dezenove horas na Rua Carolina Machado 370 casa 02 Madureira CEP 21350-021 / Rio de Janeiro, a sede provisória, compareceram as pessoas que a seguir assinarão o presente livro com o objetivo de fundarem a Escola de Samba. Para presidir os trabalhos foi eleito o senhor Osni José Nascimento e a mim, Dulcinéa Gomes de Oliveira, como secretária, além das autoridades: O senhor Djalma Carlos Santos sub-prefeito da Zona Norte e o senhor Felipe Morgenstein administrador da XV Região Administrativa/Madureira. O presidente da mesa deu início e sugeriu que fosse cumprida a seguinte ordem do dia. I- Abertura: “Libertador” de A F. Itaboraí; II - escolha do nome, das cores e a bandeira; III –Estatuto social, IV – Eleição da 1º diretoria e V – Apresentação de um comunicado público. O presidente, então fez a leitura do poema:

Libertador
"A.F. Itaboraí"

Vou sair e vou a luta.
Vou Cavalgar meus sonhos,
Vou conquistar a fantasia
Da prosa ou da poesia
dos corações apaixonados
das crianças felizes
dos velhos tranquilos.

Vou sair e vou a luta
Vou cavalgar meus sonhos
fazer versos,
Cantar pro mundo
as coisas que sei existir
mas que sempre
vivem prisioneiras
no reino da fantasia.

Vou sair e vou a luta
vou cavalgando; digo; cavalgando sonhos
vou ser libertador
vou conquistar a fantasia.

Depois de conquistada
hei de dividi-la
com as gentes do mundo.

Vou alegrar a realidade
dos sérios e compenetrados
mostrar que a fantasia
pode ser real
se tiver um coração
que a saiba receber.

Vou sair e vou a luta.
Vou cavalgando meus sonhos.
Vou liberar a fantasia.

 

Após, o presidente colocou em votação a escolha do nome da entidade, obtendo o seguinte resultado: Sementes do Futuro 0; Semente de Natal 07; Filhotes da Águia 05; Ninho da Águia 02; Filhos da Águia 18; Portelinha 07 e Juventude Azul e Branco 01. Doze (12) pessoas chegaram após a votação. Em vista do exposto, considerou-se fundada no dia 31 de julho de 2001 o Grêmio Recreativo Escola de Samba Filhos da Águia. Quanto as cores e a bandeira da agremiação , a diretoria receberá as sugestões e organizará uma nova Assembléia Geral para colocar em votação estes itens. Á respeito do Estatuto Social, o Senhor Presidente sugeriu que a diretoria elabore este documento e apresente para a aprovação em uma nova assembléia, a sugestão foi aprovada por unanimidade. Passando para o quarto item o Presidente acatando sugestão da plenária classificou os sócios da seguinte forma: fundadores, todos os presentes que assinarão o livro de presença e contribuintes, serão as pessoas físicas e /ou jurídicas que se associarem após esta data e que contribuírem para a manutenção da entidade. Dando prosseguimento a nossa reunião o Senhor Presidente solicitou os nomes dos presentes interessados em participar da primeira diretoria, assim, foi formada a única chapa: Presidente Osni José do Nascimento, Vice-Presidente: Carlos Sabóia Monte, Secretário: Wilson Pereira da Silva, Diretor-financeiro: José Vieira São Bento, Diretoria Social: Marlene de Assis Vieira. Colocada em votação a presente diretoria foi eleita por unanimidade. O presidente fazendo jus de suas atribuições, apresentou o seguinte comunicado: Pelo presente, estamos tornando público a toda a diretoria do Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, veteranos, velha-guarda, bem como, baianas, alas diversas desde o mais humilde empurrador de carros até o mais graduado diretor, que no dia 31-07-2001 à Rua Carolina Machado 370 casa 2 Madureira – RJ CEP 21.350-021 foi fundada a Escola Mirim do Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, Tendo como objetivo um vasto programa de assistência social e filantrópica, pautado no princípio da liberdade, solidariedade, união, paz e amor, proporcionando as crianças sambistas verdadeiras raízes e troncos, baluarte do carnaval carioca oferecendo a oportunidade de convivermos em uma verdadeira fraternidade.

Assistência - Lazer - Cultura e Higiene mental com muita PAZ E AMOR.

A DIRETORIA.

Dando por encerrada a sessão o presidente agradeceu e congratulou-se com a fundação da nova agremiação sócio-cultural convidando os presentes sócios fundadores para assinar o livro, cujo a ata transcrevi e assino.