Inicio  do meu amor  pela Portela

 Ano de 1983 Portela aclamada como a grande campeã do carnaval. O resultado surpreendeu, pois, havia ficado com o vice-campeonato. No dia do desfile das campeãs fui levado por um amigo para conhecer a concentração da Portela, achei divino, maravilhado com tudo que havia naquele espaço.   De repente surge na concentração uma mulher linda e cheia de garra. Cumprimentando e dando força a todos. Essa figura iluminada era Clara Nunes, um verdadeiro ORIXÁ vivo!

Clara comandava e incentivava a Escola com garra dizendo para as baianas e o restante dos componentes: - vamos entrar com garra, amor pela Portela, porque, a Portela vai mostrar quem é a campeã. Conto com vocês! Falava isso com muito ardor, era realmente uma guerreira!

Naquele momento ela notou que eu observava tudo extremamente admirado; se aproximou e me falou: - Encantado? Você nunca desfilou na Portela? Respondi que não.  Então ela disse: - Um dia você vai desfilar pela Portela. Antes de sair me deu um beijo e agradeceu a todos com sua simpatia e energia.

Alguns meses depois Clara se submete a uma cirurgia fatídica. A população se reuniu em orações por sua recuperação, uma comoção nacional,  todas as religiões e crenças se juntaram. Clara Nunes não se recupera e vem a falecer.

No ano de 1984 o enredo da Portela fazia homenagem a  Paulo, Natal e Clara Nunes. Neste ano a profecia de Clara é confirmada “Um dia você vai desfilar pela Portela” desfilei na Ala do Almirante. Assim foi meu ingresso no Carnaval e na Portela, de uma certa forma por causa de Clara, a quem sempre peço licença para entrar na Avenida. Tenho certeza que ela sempre está presente em nossos desfiles, passando sua energia e vibração.

No final a minha história com o samba e com a Portela (minha maior paixão) partiu de uma visão dela, Clara Nunes, e de certa forma um convite muito especial.
Salve Clara Guerreira! Salve Portela!
Carlos Reis – 1º Destaque da Portela