Barracões das 13 agremiações do Grupo Especial são liberados na Cidade do Samba

 

Por Redação SRzd

O sofrimento para os carnavalescos das escolas do Grupo Especial acabou. Depois de mais de um mês sem poder trabalhar, as 13 agremiações já estão com seus barracões liberados e podem retomar os preparativos para o Carnaval 2018. Nesta quarta-feira (29), o Ministério do Trabalho realizou vistoria nas escolas que restavam – Grande Rio, Portela, União da Ilha, São Clemente, Tuiuti, Tijuca e Império Serrano – e autorizou o funcionamento dos locais.

Algumas agremiações já haviam sido liberadas e vêm trabalhando a todo vapor. O Acadêmicos do Salgueiro foi a primeira. Logo depois, Vila Isabel, Mocidade, Beija-Flor, Mangueira e Imperatriz conseguiram o aval do Ministério.

ESCOLAS COMEMORAM VOLTA AOS TRABALHOS

Primeiro barracão a ser liberado, o Acadêmicos do Salgueiro corre contra o tempo para finalizar seu trabalho plástico até o início de fevereiro. A presidente Regina Celi afirmou que o ritmo segue frenético: “Não medimos esforços para atender a todas as exigências, conforme solicitado. Vamos fazer nosso Carnaval da melhor maneira possível, sem pensar no que passou. Temos pouco tempo e daremos nosso melhor, mais uma vez”.

Jorge Silveira, carnavalesco da São Clemente, retoma o trabalho de barracão nesta quarta (29) e promete muito empenho na busca do tempo perdido: “Estamos muito felizes com o retorno e agora é correr atrás do tempo perdido para fazer um grande Carnaval!”.

RELEMBRE A INTERDIÇÃO DA CIDADE DO SAMBA

No dia 19 de outubro, os barracões da Cidade do Samba foram interditados pelo Ministério do Trabalho, através do superintendente Cláudio Secchin. As escolas precisariam resolver pendências de estrutura e organização do serviço para voltarem a ter acesso ao espaço.

O carnavalesco da São Clemente, Jorge Silveira, deu detalhes das mudanças que precisariam ser feitas. O diretor de Carnaval Wagner Araújo, da Imperatriz Leopoldinense, afirmou que a parte burocrática estava toda nas mãos da Liesa. Já Vera Lúcia, presidente do Império Serrano, afirmou que sua escola não havia sido interditada.

Após o desenrolar do processo, a Cidade do Samba está liberada e segue os trabalhos rumo ao Carnaval 2018.

Fonte.:  www.srzd.com