Apaixonados por Clara Nunes, portelenses mostram em ensaio que o sonho do 23º título é possível

 

Por Geissa Evaristo

O desejo e anseio de todo portelense de levar Clara Nunes para Avenida foi atendido pela Portela e o componente mostrou neste domingo na Intendente Magalhães, no ensaio de rua, estar realizado e mais do que preparado para a homenagem tão aguardada. Cerca de 1.600 componentes, de acordo com direção de carnaval da escola, cantaram, sambaram e evoluíram sob as bênçãos de Clara Nunes durante 62 minutos de treino.

“Foi um ensaio muito bom, o segundo que fizemos aqui na Intendente Magalhães e temos mais dois marcados para cá novamente e mais dois para a Estrada do Portela. Até o carnaval a gente consegue atingir o que queremos. O importante é evoluir até o último ensaio. Temos certeza que vamos chegar na Avenida arrebentando”, declarou o diretor de carnaval Fábio Pavão.

A concentração estava marcada para às 17 horas, porém a escola só iniciou seu ensaio às 21h com o tradicional esquenta para delírio do público que lotou as ruas do Campinho. Para abrir o treino, o coreógrafo Carlinhos de Jesus foi homenageado pelo seu aniversário. Nilce Fran discursou sobre a importância de se ter duas de suas passistas na Corte do Carnaval Carioca: a primeira princesa Deisiane Jesus, oriunda da escola de Madureira e Viviane Silveira, segunda princesa. Viviane, inclusive, ganhou papel de destaque no treino e ensaiou à frente da ala de passistas, que estavam trajadas de Clara Nunes.

Voltando ao comando de uma comissão de frente em 2019 e, dessa vez, estreando na Portela, Carlinhos de Jesus mostrou-se completamente “em casa”. O coreógrafo recebeu homenagem no início do ensaio pela comemoração de seu aniversário e revelou a equipe do site CARNAVALESCO que nada de oficial foi executado no ensaio de rua. O treino contou com bailarinos homens e mulheres com canto forte, porém não foi possível identificar o que poderiam representar na execução da coreografia.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Marlon e Lucinha Nobre, casal de mestre-sala e porta-bandeira da Portela são um destaque à parte no ensaio. A porta-bandeira, que dispensa apresentações, mostra a todo instante segurança e leveza em seu bailado. Lucinha, que tem uma maneira particular de conduzir a sua bandeira realizou com seu mestre-sala Marlon Lamar simulações de apresentações para as cabines de julgadores e terminou o treino sem demostrar qualquer sinal de cansaço físico. Lamar, apesar de ainda estrelar o seu segundo desfile no Grupo Especial carioca, não fica atrás da excelente exibição da porta-bandeira. O casal promete ser um dos melhores da Avenida.

Samba-Enredo

Para o intérprete Gilsinho, o Carnaval de 2019 ficará marcado em sua vida por cantar Clara Nunes na Avenida e a obra portelense na voz do intérprete e da sua equipe do carro de som ganhou ainda mais força. Com uma bela melodia e dois refrões que evocam a emoção do portelense, a obra da azul e branca de Oswaldo Cruz e Madureira tem tudo para, além de conduzir um bom desfile, garantir notas máximas e prêmios. Os portelenses cantaram apaixonados o samba durante todo do percurso da Estrada do Campinho e sempre estimulados pelo intérprete e pelo ritmo da Tabajara do Samba.

Bateria

Mestre Nilo Sérgio queria para 2019 um samba com boa melodia, boa letra e acima de tudo emocionante, conseguiu. A bateria da Portela que é considerada uma das melhores do carnaval cumpriu muito bem o seu papel durante o ensaio de rua realizado na noite de domingo. O mestre ensaiou as bossas que serão utilizadas na Marquês de Sapucaí e contou com a presença de quase a totalidade dos ritmistas do dia do desfile oficial (a escola desfilará com 280 ritmistas) o ritmo está confortavelmente “casado” com o carro de
som, o que beneficia o segmento harmonia.

A rainha Bianca Monteiro como sempre marcou presença, sambou muito e esbanjou simpatia. Foi uma atração à parte para o público que lotou a Intendente Magalhães para acompanhar o treino da azul e branca de Oswaldo Cruz e Madureira.

Evolução

No que tange à espontaneidade das alas a Portela é nota máxima. Componentes soltos e evoluindo com muita alegria. Até a ala coreografada “Ala dos Impossíveis – Iansã” estava ensaiada na medida certa, com os componentes se divertindo apesar dos passos marcados.

“Foi um ensaio muito bom, com a comunidade cantando muito. Na verdade a comunidade tomou o samba pra si. Quando uma escola toma o samba pra si ela canta à plenos pulmões. A Portela traz a emoção do enredo do tamanho dela”, avalia Junior Schall, membro da comissão de carnaval.

A Portela apresenta em 2019 o enredo ‘Na Madureira moderníssima, hei sempre de ouvir cantar uma sabiá’ sob o desenvolvimento de Rosa Magalhães. A Majestade do Samba será a terceira escola a desfilar na segunda-feira de carnaval pelo Grupo Especial com 3.500 componentes em busca da 23ª estrela.

Fonte.:  www.carnavalesco.com.br