Mesmo sem patrocínio da Uber, Liesb garante: haverá desfile de qualquer jeito

 

Por Romulo Tesi

Não há qualquer sinalização de quando e quanto as escolas de samba dos grupos B, C e D receberão da Prefeitura do Rio para aprontar os desfiles de 2019. Além disso, nem a saída da Uber, que desistiu de patrocinar a estrutura na Estrada Intendente Magalhães, local das apresentações, parece abalar o otimismo da Liesb, liga responsável pelos grupos. Segundo o presidente da entidade, Gustavo Barros, “haverá desfile de qualquer jeito”.

A previsão era que a empresa de transporte particular investisse R$ 2,5 milhões para montar a infra na Intendente. Até o momento, foram captados, via Lei Rouanet, R$ 500 mil com a Booking.com, que atua no setor de reservas de hospedagem. Se não pintar mais dinheiro, Barros posta no “jeitinho”.

Leia também:
Liesb diz que Uber foi ‘criminosa’ ao desistir de patrocínio

“Vamos ver a melhor forma, quem sabe com a iniciativa privada. Nem que seja com estrutura reduzida. De repente não se monta arquibancadas e colocam só grades. O que não pode acontecer é ‘matar’ mais 60 comunidades, acabar com as escolas de de sambas dessa forma. A opinião pública pede emprego, segurança, saúde, mas imagina como seria para 60 comunidades, que só tem a escola de samba como movimento cultural, como seria ficar sem o Carnaval?”, declarou o dirigente ao Setor 1.

A montagem da estrutura é de responsabilidade da Riotur e parceiros, que entregam a avenida pronta para os desfiles.

“Vitória grande”

Sobre a verba da Prefeitura para as escolas, Barros diz que ouviu da Riotur a promessa de assinar o contrato de subvenção logo após o acordo com os grupos Especial e da Série Asejam selados. No entanto, ainda não há previsão para isso acontecer. A expectativa é que cada agremiação da Série B receba R$ 75 mil; para as do grupo C, R$ 35 mil, e R$ 17 mil para o D. Tudo somente no início de 2019 – assim o dirigente espera,

Apesar da incerteza, o presidente da Liesb prefere não demonstrar preocupação.

“Esse ano o dinheiro chegou 15 dias antes dos desfiles. Se chegar em janeiro (a mais de um mês das apresentações, dependendo da data), vai ser uma vitória grande”, concluiu.

Fonte.:  www.setor1.band.uol.com.br